quinta-feira, 29 de setembro de 2016

IDENTIFIQUE-SE COM O CRISTO, E NÃO MAIS COM O ILUSÓRIO “EU CARNAL NASCIDO”,




“Jesus partiu com seus discípulos para os povoados de Cesareia de Filipe e, no caminho, perguntou a seus discípulos: “Quem dizem os homens que eu sou?” Eles responderam: “João Batista; outros, Elias; outros, ainda, um dos profetas”. “E vós”, perguntou ele, “quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “Tu és o Cristo”. Então, proibiu-os severamente de falar a alguém a seu respeito”.


Mc 8,27-30





Por mais que sejam apresentados a alguém artigos elevados e absolutos da Verdade, por mais que sejam eles lidos, se não houver juntamente com as leituras um RECONHECIMENTO RADICAL com a VERDADE DE QUE ESTÁ ELE SENDO O CRISTO “DESDE SEMPRE”, poderá estar lidando unicamente com o suposto “intelecto” das CRENÇAS COLETIVAS.

Os artigos absolutos trazem as revelações do que AGORA SOMOS, e o que somos é uma DIVINA UNIDADE PERFEITA chamada“EU SOU AQUELE QUE SOU”!

“Aquele que me vê a MIM, vê o PAI” – disse Jesus. 

Ao indagar de seus discípulos, “Quem dizem os homens que eu sou”, Jesus ouviu as várias opiniões apagadas dadas a partir das CRENÇAS COLETIVAS, como, por exemplo, que seria João Batista, Elias, algum antigo profeta, etc.. 

E então fez a mesma pergunta aos próprios discípulos: “E vós, quem dizeis que eu sou?” E foi quando Pedro lhe respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo”. 

Que comentário fez Jesus?
“Bem-aventurado és tu, Pedro, pois não foi a carne quem to revelou, mas O MEU PAI, QUE ESTÁ NOS CÉUS”.

É costume, adquirido pela humanidade indo a igrejas terrenas, ler e ouvir passagens bíblicas sem as associarem diretamente com a própria vida de seus frequentadores. 

As citações são lidas como “casos ocorridos com Jesus”, e não são interpretados como Verdades UNIVERSAIS a serem observadas e vividas por todos nós. 

Esta passagem citada, riquíssima de conteúdo espiritual, é entendida apenas como“Pedro dizendo que Jesus é o Cristo”! E assim, seu valor universal se perdeu nas páginas da Bíblia!

Há, em VOCÊ, “O Pai revelador do CRISTO”, e, há em VOCÊ, “o Cristo revelado pelo Pai”. Que papel exerce um artigo da Verdade? 
Faz o “Batismo com água”, ou seja, faz o papel de João Batista sendo “a voz que clama no deserto”, declarando com todas as letras a Verdade Absoluta de que “CRISTO É TUDO EM TODOS”, como fazia o apóstolo Paulo! 

A parte do suposto leitor é a de se abrir ao “Batismo com fogo”, IDENTIFICANDO-SE COM O CRISTO, E COM A “MENTE DE CRISTO”, E NÃO MAIS COM O ILUSÓRIO “EU NASCIDO”, NUMA ACEITAÇÃO RADICAL DE QUE “ESTÁ SENDO AGORA O CRISTO”, deixando ao PAI INTERIOR a ação de dar “testemunho desta Verdade”, assim como o fez em Pedro em relação a Jesus.

UNICAMENTE O CRISTO É QUEM SOMOS! 

ASSIM, ALÉM DAS “CONTEMPLAÇÕES DE RADICAL IDENTIFICAÇÃO”, DEVEMOS ADOTAR A FRASE DE JESUS – “AQUELE QUE ME VÊ A MIM, VÊ O PAI” – POIS ELA CONSTA DA BÍBLIA PARA ESTE FIM: O DE SABERMOS QUE, SE ESTIVERMOS SENDO VISTOS POR ALGUÉM, O PAI, EM NÓS, COMO O CRISTO, É QUEM ESTARÁ SENDO VISTO; CASO CONTRÁRIO, NÃO ESTAREMOS SENDO VISTOS! UMA “ILUSÃO”, CHAMADA “EU NASCIDO”, ESTARIA ILUSORIAMENTE SENDO VISTA, E NUNCA A VERDADE QUE SOMOS!








GRATIDÃO AO MEU AMIGO DÁRCIO

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

A Totalidade De Deus E A Nulidade Da Ilusão



A base do estudo da Verdade Absoluta é a aceitação incondicional da premissa sempre enfatizada: DEUS É TUDO, INCLUSIVE A TOTALIDADE DO SER QUE VOCÊ PERMANENTEMENTE É!

Jamais a mentira altera a Verdade, jamais uma ILUSÃO muda fatos, jamais o “hipnotismo de massa” cria “mundo material”!

Como DEUS constitui a TOTALIDADE da Existência, o Cristo emanado de Deus, para ser Sua expressão individual, é permanentemente PERFEITO e, portanto, LIVRE DE ILUSÃO!

A palavra ILUSÃO, empregada por Buda e também pelos textos metafísicos, explica que O UNIVERSO, E TODOS NÓS, exatamente AGORA, EXPRESSAM A PERFEIÇÃO ABSOLUTA QUE DEUS É! 

Pouco importa que os chamados “sentidos humanos” testifiquem o contrário! 

ENTENDER QUE “ILUSÃO” É PALAVRA QUE REVELA A PERFEIÇÃO, E NUNCA ALGUMA IMPERFEIÇÃO, É FUNDAMENTAL PARA O RECONHECIMENTO ABSOLUTO DE QUE “SOMENTE DEUS É REALIDADE”.

Por isso, há vezes em que é dito que “ILUSÃO” é sinônimo de “NADA”.

Não há sentido algum em alguém dizer algo do tipo: “Em Deus eu sei que estou perfeito, mas, na ILUSÃO eu continuo com problemas de saúde!” 

Teria sido entendido o emprego da palavra “ILUSÃO”? Não! Apareceram “DOIS EUS” na frase, o que significa a NEGAÇÃO de que unicamente DEUS É O “EU QUE SOMOS”! E quanto ao “outro eu”? É ILUSÃO! NADA!

Em contato com o mundo, caso a ILUSÃO esteja nos mostrando “imperfeitos”, não haverá quem se aproxime para dizer-nos: “Eu sei que você é perfeito, e que esta imagem de imperfeição é nada”! 

Por quê? PORQUE A HUMANIDADE “JULGA-NOS PELA CARNE”! 

Desse modo, o que significaria a “desintegração da ilusão”, para quem aplicasse corretamente os estudos, para os demais, aquilo seria “IMPERFEIÇÃO REAL”! 



E caso fôssemos dar explicações, ouviríamos: “Ele diz que o mal não existe, mas, quando acontece com ele, ele fala que é ILUSÃO se desintegrando!”.

Nestas situações, em que as pessoas não se mostram abertas ao entendimento dos fatos, é recomendável aplicarmos o que disse Jesus: “Concorde rapidamente com seu adversário”! SE, PARA ELE, ILUSÃO NÃO SIGNIFICA “NADA”, SERÁ PERDA DE TEMPO DARMOS EXPLICAÇÕES!

Quanto menos tempo perdermos com “falas sobre a ilusão”, melhor nos será! A nós, importa saber o que ela é:  puro “NADA”! 

Por isso, seja qual for a “aparência de imperfeição”, imediatamente devemos reconhecer, e com entendimento: “Isto é ILUSÃO, irrealidade se mostrando em lugar da PERFEIÇÃO DIVINA! Puro “NADA”! 

É neste contexto que a palavra “ILUSÃO” exerce o papel de “anunciar a perfeição”.

A Metafísica Absoluta é Ciência Divina! Requer treinamento e prática! 

Enxergar ou reconhecer a “imperfeição como ilusão” não significa “fazer de conta que não percebeu a imperfeição”, seja em si mesmo ou em outrem! 

SIGNIFICA RECONHECER A ONIPRESENÇA DA VERDADE EM LUGAR DA MENTIRA!

Há anos, a ILUSÃO a mim se mostrou como “garganta ruim”, ou seja, a voz falhava e não saía normal. E cada “metafísico” que me ligava, logo dizia:  “Sua garganta não está boa hoje, não é?”. 

Cada um deveria APLICAR O ENSINAMENTO, porém, só me chegava o “juízo pelas aparências”! 

Percebi que teria de falar com Jesus Cristo, para não RECEBER ENDOSSO DE ILUSÃO!

Isto me fez ver que o estudo daquelas pessoas não chegava à prática! Nem com relação a mim, nem com ninguém! 

Muitos achariam ruim, se eu dissesse: “Um ateu diria o mesmo dito por você!” .

Na mente dessas pessoas, VOCÊ estaria com a ILUSÃO; o que elas não percebiam, é que, RECONHECENDO A ILUSÃO NO PRÓXIMO, A ILUSÃO ESTARIA ATUANDO NELAS! 

Caso eu estivesse praticando o princípio, reconhecendo a “garganta ruim” como ilusão ou nada, teria eu, também, de reconhecer como NADAS as supostas pessoas que me viessem endossar 

ALGO QUE NÃO EXISTE! EM OUTRAS PALAVRAS, A ILUSÃO ESTARIA APARECENDO COMO “GARGANTA RUIM” E APARECENDO COMO “PESSOAS DANDO TESTEMUNHO DELA”.

O FATO REAL É SEMPRE UM SÓ: DEUS É TUDO! PERFEIÇÃO ABSOLUTA E INFINITA! 

TODA IMPERFEIÇÃO, APARENTEMENTE “SENTIDA COMO REAL”, É ILUSÃO! PURO “NADA”! E QUALQUER “TESTEMUNHA” QUE NOS SURJA, ENDOSSANDO TAL ILUSÃO, É A MESMA ILUSÃO! 






GRATIDÃO AO MEU AMIGO DÁRCIO













terça-feira, 27 de setembro de 2016

Alegria de SER..








A alegria verdadeira não é a que "sentimos", esporadicamente, mas a que "somos", permanentemente. 

Desse modo, nada tem a ver com as sensações de euforia da suposta mente humana. 

A crença coletiva divide sentimentos em alegria e tristeza, sempre se baseando nos "pares de opostos" que iludem continuamente a humanidade.

"Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados" (Mateus, 5: 4). 

O que há de mais importante, nesta revelação de Jesus, é que, uma vez "consolados", não mais acharemos motivos para chorar! 

A frase não está enaltecendo os que choram, como se estes, por chorarem, merecessem o prêmio do consolo! 

JESUS FALA DO CONSOLO EM DEFINITIVO! DO CONHECIMENTO DA VERDADE! A VERDADE DE QUE DEUS É TUDO, INCLUSIVE VOCÊ!

Enquanto "alguém chora", demonstra crer piamente nas "aparências", o que aparentemente o deixa todo desconsolado! 

E toda condição de desilusão com "este mundo" acaba por gerar uma receptividade maior às Verdades subjacentes a ele.

Por que Jesus disse aos discípulos: "Alegrai-vos por vossos nomes estarem escritos nos céus"? 

Por ENXERGAR o Reino Absoluto! Por apenas se entristecer vendo a grande maioria ora alegre, ora triste, e sendo movida dessa maneira unicamente por levar em conta puras MIRAGENS! Imagens ILUSÓRIAS! Irrealidades! E, também por saber que o REINO DE DEUS está disponível a todos, caso buscassem este Reino em primeiro lugar!


QUANDO ALGUÉM PERCEBE A PERFEIÇÃO ILUMINADA DO UNIVERSO VERDADEIRO, ESTA PERCEPÇÃO, EM SI, LHE SERÁ CONSOLO DEFINITIVO!


"E Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas". (Apoc. 21: 4)









Gratidão ao meu amigo Dárcio










segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Troque A “Ilusão Temporal” Pelo “Agora Glorioso”








Se falarmos em termos de REALIDADE DIVINA, não existe “tempo”, e, por conseguinte, não pode haver “tempo perdido”. 

Isto por ser a Realidade integralmente DEUS, e DEUS “AGORA É!”

As Escrituras revelam que “TUDO QUE DEUS FAZ É PERMANENTE”, e que “TUDO ESTÁ FEITO”. 

Obviamente, neste contexto da Verdade Absoluta, “NÓS SOMOS OBRAS OU PRESENÇAS PERFEITAS JÁ CONSUMADAS”, ou seja, SOMOS ATEMPORAIS COMO DEUS.

Estas considerações sobre a Verdade nos fazem perceber a natureza falaciosa de tudo quanto a suposta “mente humana” nos sugere como “existente”, e que são “nadas em manifestação”. 

Sonhos são “nadas”, pesadelos são “nadas”, imagens hipnóticas são “nadas”, miragens são “nadas”, enfim, todas as “aparências temporais”, supostamente acreditadas pela humanidade, são “nadas em manifestação”, inclusive as “miragens” de nascimentos, mortes, encarnados, reencarnados e desencarnados. 

Em suma, é verdadeira a declaração de Jesus de que “este mundo é o mundo do pai da mentira”, e também a de Buda, dizendo que “este mundo é uma ilusão”.

Encontramos, na Bíblia, Jesus dizendo a seus discípulos: “Ainda tenho muitas coisas para vos dizer, mas não sois atualmente capazes de suportá-las” (João 16:12). 

E também encontramos o apóstolo Paulo confessando não estar transmitindo a Verdade tal como É, dando “leite” e não “manjar sólido”, em muitas de suas pregações, por notar a convicção total daqueles seus ouvintes de que NASCERAM DE MORTAIS EM MUNDO MATERIAL!

Milênios antes, Moisés já havia “inventado nove mandamentos”, por saber que não havia campo para revelar o primeiro e único: DEUS É TUDO! 

Os supostos “nove mandamentos” eram meramente “regras humanas de conduta”, criadas para o povo saber administrar a ilusória “vida terrena”, o “mundo do pai da mentira”, a “ilusão”.

O ensinamento absoluto existe para que as pessoas VIVAM AGORA A VERDADE! 

Enquanto endossarem a ILUSÃO, nela estarão aparentemente vivendo! Não estarão conscientemente sendo QUEM SÃO! Não estarão percebendo o REINO DE DEUS EM QUE ESTÃO! 

Por isso, o enfoque ABSOLUTO requer dedicação absoluta! PARTE DE DEUS COMO TUDO, PARTE DE CADA SER COMO O “CRISTO” CONSUMADO E ILUMINADO, E PARTE DO “AGORA” COMO O UNIVERSO ILUMINADO DA PERCEPÇÃO DIVINA.

Para os seres em ILUSÃO, Jesus foi alguém desconhecido que “veio ao mundo” e que “deixou o mundo”. 

PARA A MENTE DE CRISTO EM JESUS, NADA DISSO OCORREU! 

SABIA ELE QUE “ESTÁVAMOS COM ELE DESDE O PRINCÍPIO”, COMO LUZES E COMO DEUSES. UNICAMENTE PARA A “MENTE ILUSÓRIA” ESTAVA “EXISTINDO” UM JESUS CARNAL VINDO SE APRESENTAR A OUTROS CARNAIS PARA REVELAR ALGUMA VERDADE!

Para a ILUSÃO, “existe o tempo”; e enquanto nos detivermos em suas “APARÊNCIAS ILUSÓRIAS”, estaremos “perdendo tempo” com irrealidades, aparentemente alheios ao AGORA GLORIOSO do qual, de fato, fazemos parte!

A VERDADE É DEUS! 

A VERDADE É TUDO! 

SOMOS ESTA UNIDADE PERFEITA – AQUI E AGORA! 

SOMOS REALMENTE O QUE JOÃO DISSE: “O QUE ERA DESDE O PRINCÍPIO”!





GRATIDÃO AO MEU AMIGO DÁRCIO

domingo, 25 de setembro de 2016

Dois Pontos Reveladores Da Verdade








Dois pontos fundamentais do estudo da Verdade estão sempre sendo repetidos e enfatizados pelas postagens do ensinamento absoluto: 
1) a mudança de referencial; e 
2) a permanência das obras de Deus.

A “mudança de referencial” nos alinha com “o ponto de vista de Deus”, e o reconhecimento de que “as obras de Deus são permanentes” nos faz perceber que somos imutavelmente perfeitos. 

Assim, estes dois pontos são cruciais para o entendimento dos princípios revelados, sendo, portanto, os fundamentos das “contemplações absolutas”.


Por que Jesus não se mostrava satisfeito, diante de um povo sempre em busca de “sinais visíveis”, para crer em Deus? 
Porque entendia que “ver aparências melhoradas” era a mesma coisa de se “ver aparências ruins”! Mudá-las não era a Verdade!

A Verdade seria o povo “mudar de referencial”! Enxergar as “obras permanentes de Deus”, espirituais, plenas, iluminadas e perfeitas!


Diante da cegueira do mundo, via-se obrigado a se conformar com meros “sinais visíveis”, que eram meramente “aparências transitórias”!


A humanidade está hipnotizada para acreditar em “mundo fenomênico”, que é uma ILUSÃO! Se Lázaro for ressuscitado e visto “neste mundo”, esta humanidade iludida se maravilhará!

Entretanto, a maravilha não seria esta! 

Seria alguém perceber que, se foi visto depois de aparentemente “morto”, foi por ter sido VISTO EM SUA IMORTALIDADE por Jesus, ou seja, JAMAIS DEIXOU DE ESTAR VIVO AOS OLHOS DA VERDADE!


O mesmo se dá com as “aparentes” curas! 

Por que um dedicado praticista de cura espiritual “traz à luz” uma “aparência” de corpo curado? 
-Por ter-se recusado a aceitar o ilusório “corpo físico” como REALIDADE! 
-Reconhecendo a natureza REAL do Universo e do Corpo como ESPIRITUAIS, deixava ele de endossar a CRENÇA NA MATÉRIA, e esta sua “visão correta” dos Fatos espirituais, sendo refletida neste “espelho fenomênico”, corrigia a imagem deformada, dando a impressão de ter havido uma “cura”. 

JAMAIS O CORPO REAL É CURADO: É TEMPLO DE DEUS! OBRA PERMANENTE DE DEUS!


O “praticista”, portanto, é alguém que, diante das “aparências”, se atém aos dois pontos fundamentais destacados: a mudança de referencial e a permanência das Obras de Deus.


Os sinais, as melhorias fenomênicas, as mudanças de aparências, são aspectos que devem sair de nossa atenção, para que nos firmemos nos dois pontos essenciais! 

Seja qual for a situação aparente, mude seu referencial para o da Verdade, e reconheça a permanênciadas Obras divinas:
SOMENTE EXISTE O UNIVERSO REAL DE DEUS, EM QUE DEUS É A PRÓPRIA PERFEIÇÃO DE TUDO E DE TODOS NA FORMA DE SUAS OBRAS PERMANENTES!


Mary Baker Eddy, ao perguntar a um aluno se ele poderia ter estado doente, estar doente ou ficar doente, ele se mostrou vacilante em responder, dizendo: “Pelo que a Ciência Cristã diz, eu não poderia!” 

E ela, batendo com os pés no chão, repetiu a pergunta; e então, ele deu a resposta requerida: “Não, eu nunca estive, não estou nem poderei ficar doente!”. 

E ela disse a ele: “Atenha-se a isto!”


Que está por trás da resposta certa? 
O REFERENCIAL DA VERDADE E A PERMANÊNCIA DAS OBRAS DE DEUS!


CABE TAMBÉM A VOCÊ SE ATER A ESTES DOIS PONTOS: “EU ME VEJO EM DEUS E NÃO NO MUNDO, E, ESTE SER QUE EU EM DEUS SOU, É O CRISTO! OBRA PERMANENTE DE DEUS!



GRATIDÃO AO MEU AMIGO DÁRCIO

sábado, 24 de setembro de 2016

Que te importa a ti?


 .


“Vendo Pedro a este, disse a Jesus: Senhor, e deste que será? Disse-lhe Jesus: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu”.

João 20:21, 22.





O Reino de Deus é atemporal. 

O Gênesis registra que Deus viu tudo quando fizera e achou muito bom. 

E, em Eclesiastes, há a confirmação de que as obras de Deus são permanentes: nada se-lhes pode acrescentar, nem tirar. 

Diante destas Verdades, podemos compreender o que de início dissemos: O Reino de Deus, imutável e perfeito, é atemporal! 

Que é o tempo? Um conceito da mente humana, mais nada! Isto significa que o estado iluminado já é a condição real e atual de todos nós.

Vendo Pedro a este, disse a Jesus: Senhor, e deste que será? 

Disse-lhe Jesus: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu.
João 20:21, 22.

Analisando os fatos segundo as aparências, vemos o tempo passando, com algumas pessoas se mostrando iluminadas, outras em processo de iluminação, e outras em total ignorância espiritual. 

Na passagem acima, vemos Pedro querendo saber de Jesus: E deste que será?
E teve por resposta: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu. 

Que sentido tem esta resposta? 
Se toda obra de Deus é boa, e é permanente, cada um de nós é esta OBRA PERFEITA! 

Que vem sendo aceito? 
Que Jesus é o filho unigênito e perfeito do Pai, e que toda a humanidade difere dele em natureza, por estar cheia de pecados, problemas e defeitos. 

Pedro, na passagem citada, estava “julgando segundo as aparência”. 

E foi corrigido por Jesus: Que te importa a ti? SEGUE-ME TU.

Cada um que se descobre sendo a OBRA PERMANENTE PERFEITA DE DEUS, endossa as palavras de Deus e percebe a unidade Eu e o Pai somos um. 

Entretanto, como dissemos, o tempo não existe como Realidade! TUDO É AGORA! 

Se alguém percebe, em si mesmo. a revelação divina, tem percebido sua natureza genuína: O CRISTO! 

Não foi este o momento glorioso que levou Paulo a declarar, em Gálatas 2:20: O Cristo vive em mim? 

Voltemos à resposta de Jesus: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti?

Nesta resposta está a base da Revelação absoluta! 

- Quem está seguindo a Cristo está sem julgar pelas aparências! 

- Está julgando consoante julgamento justo. 

- Está no Reino atemporal em que somos todos um. 

- Está desperto para a Verdade de que Deus e Sua Obra são perfeição permanente, e que todos, em UNIDADE, JÁ SOMOS esta Obra! 

Quem estiver desejoso de saber a respeito do outro, sobre o que será dele, estará deixando a própria Luz de lado, trocando-a pelo julgamento pelas aparências; em outras palavras, estará deixando a Verdade para endossar ilusão e a crença no tempo. 


Qual o sentido de “Se eu quero que ele fique até que eu venha?” 

Jesus enfatiza a remoção da trave de nosso olho! 

O Cristo virá no outro quando NÓS o virmos com os olhos da Verdade! 

O véu da ilusão, o “julgamento segundo as aparências”, terá sido banido de nossa visão! 

O Cristo sempre esteve sendo o outro; o Fato apenas aguardava ser reconhecido! E por nós! 


CONTEMPLAÇÃO: 


Segue-me tu, disse Cristo! 

No silêncio deste instante, permaneço em minha Visão Iluminada! 

Nesta posição de comunhão com Deus, contemplo o AGORA ATEMPORAL, momento eterno em que Deus Se revela como o Cristo de meu próprio ser: o Alfa, o Ômega, o Princípio e o Fim. 

Nesta Visão, percebo que inexiste qualquer “outro”. 

Deus-Pai, a Presença infinita, está sendo a Unidade Iluminada que Se exprime como tudo e como todos! 






GRATIDÃO AO MEU AMIGO DÁRCIO

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

“Por Baixo Estão Os Braços Eternos”





Explicando a um evangélico que Jesus, tendo dito ter vindo para “dar testemunho da Verdade”, sobre o Universo e sobre todos nós, de fato, ele o fez, revelando diretamente que “somos deuses”, “luz do mundo”, “sal da terra”, “um com o Pai, iguais a ele”. 

Ouvindo isso, ele me disse: “Você pode divulgar a Verdade; só não pode é incluir dizeres que não constam da Bíblia! 

Deus é um só, e não existem deuses! E Jesus não disse que somos iguais a ele em unidade com Deus!” 

Disse a ele que visse João, 10: 34 e João, 17: 22. 

Enquanto Jesus nos deu o “testemunho da Verdade”, as religiões dos homens somente enfatizaram a mentira, passando a todos eles a crença em pecados e pecadores, além de cobrarem, e do “homem natural”, o cumprimento das exigências cristãs. 

As Escrituras revelam Deus sendo o Homem real ou Cristo, Ser perfeito e uno com Deus, que nada tem a ver com o que a suposta “mente carnal” nos mostra e julga que somos! 

A Bíblia diz: “Por baixo estão os braços eternos” (Deut. 33: 27). 

Fazendo uma analogia, seria entendermos, em dia de nevoeiro, que “por baixo dele está a cidade incólume”! 

Assim como o nevoeiro atrapalha a visão da cidade, mas sem mudá-la em nada, as “aparências” atrapalham a visão da TOTALIDADE E UNICIDADE DE DEUS, sem, contudo, alterarem a Verdade. 

Diante de quaisquer “aparências”, desloque delas sua atenção, voltando-a aos “Braços Eternos”, que estão “por baixo delas”. 

Faça disso um hábito, ou seja, acostume-se a reinterpretar os cenários supostamente visíveis em termos da “permanência do Bem absoluto”, sem esmorecer, sem voltar atrás, sempre reconhecendo que a Verdade está nos “Braços Eternos”, subjacente às “aparências”. 

Decorrente desta Verdade, a Metafísica diz: “Toda aparência insinua a Presença da Realidade perfeita e subjacente a ela”. 

Esquive-se, portanto, dos “quadros hipnóticos” da suposta visibilidade, e “contemple”, serenamente, a Realidade perfeita, permanente, subjacente a eles.








GRATIDÃO AO MEU AMIGO DÁRCIO